• Accueil
  • > Em Cabinda, continua a caça às bruxas

30 décembre, 2009

Em Cabinda, continua a caça às bruxas

Classé dans : Non classé — cabinda @ 20:44

raultati09.jpgPhoto e fonte: PNN

Exoneração de Raul Tati reflecte fracasso da reconciliação da Igreja em Cabinda.

Após ter publicado o comunicado sobre a suspensão decretada sobre o padre Raul Tati, até então afecto a comunidade de Cristo Mbonde fica por desvendar as razões que determinaram o fracasso da reconciliação, iniciativa sugerida e trilhada longos dois anos.

Através de um lacónico comunicado da diocese de Cabinda assinado por D. Filomeno Vieira Dias limitava-se a confirmar a suspensão do ex vigário geral de Cabinda. Sem referir quando foi que deu entrada, o tal pedido submetido que despoletou este processo, uma nota, informava a aceitação da demissão «… devendo por conseguinte o Padre suspender de hora em diante o exercício do poder da ordem sacerdotal e livre das obrigações e direitos inerentes ao mesmo, incluindo a obrigação de residência canónica».

Raul Tati em carta endereçada aos colegas e familiares nesta quinta-feira 24 de Dezembro, é mais detalhado no historial que faz as razões que o levaram a colocar algumas condições ao seu regresso: a reconciliação. Contextualiza a 2007, altura em que lhe foi levantada a suspensão anteriormente imposta, juntamente com seis outros colegas. Na carta, a que tivemos acesso, o prelado fala das sugestões que fez e das iniciativas encetadas para que a reconciliação fosse bem-sucedida no seio da família diocesana. «Durante estes últimos dois anos o Bispo e eu dialogámos várias vezes sobre a minha situação e fui sempre claro em manifestar a minha inconformidade com o arrastar da situação da diocese sem qualquer horizonte de normalização» adianta.

Nas fracturantes condições de vida da diocese, sem a reconciliação que desejava, manifestou a sua recusa para a retomada imediata do ministério como se lhe estava a exigir, e exprimiu a sua determinação em abandonar o sacerdócio caso persistisse a situação, o que reportou a Ivan Dias, Cardeal Prefeito para a Congregação dos Povos, sem nunca obter reposta da Santa Sé.

«As coisas precipitaram-se nos últimos tempos quando o Bispo me comunica que o tempo estava expirado e que a Igreja já não podia esperar mais. Fez-me então saber por escrito que tinha decidido começar o processo da minha exoneração das obrigações da ordem. Diante dessa pressão, limitei-me a encorajá-lo a fazer o que tinha para fazer» escreve na mesma carta Raul Tati1.

Laisser un commentaire

Construire avec vous le du ... |
Bien Vivre ensemble l'aveni... |
COMMUNAL HAOUR FEYZIN 2008 |
Unblog.fr | Créer un blog | Annuaire | Signaler un abus | Energie Nouvelle pour Heill...
| Michel TAMAYA 2008 Le BLOG
| servir connaux