• Accueil
  • > Politique
  • > Governo angolano desmente ataque em Cabinda, mas os independentistas mantem a reivindicação

23 mai, 2010

Governo angolano desmente ataque em Cabinda, mas os independentistas mantem a reivindicação

Classé dans : Politique — cabinda @ 13:36

Cabinda – O ataque, reivindicado pelas Forças de Libertação do Estado de Cabinda, FLEC/Posição Militar, ter-se-ia dado no fim-de-semana e três cidadãos chineses teriam sido mortos. Mas entre a controvérsia sobre este alegado ataque em Cabinda, o Secretário de Estado para os Direitos Humanos, António Bento Bembe, que vitou Cabinda (na semana passada), reconheceu também outros problemas, nomeadamente o subdesenvolvimento e o medo que existe entre as populações de exprimirem a sua opinião. O governo angolano desmentiu notícias que rebeldes de Cabinda levaram a cabo um ataque contra uma coluna de veículos em que viajavam vários cidadãos chineses.  O ataque, reivindicado pelas Forças de Libertação do Estado de Cabinda, FLEC/Posição Militar, ter-se-ia dado no fim-de-semana e três cidadãos chineses teriam sido mortos. O desmentido do ataque foi feito pelo Secretário de Estado para os Direitos Humanos de Angola, António Bento Bembe, que descreveu a reivindicação do ataque como “uma alucinação”. Bento Bembe que visitou Cabinda na semana passada disse que a situação em Cabinda é normal.

Clique aqui para ouvir as declarações de Bento Bembe Os separatistas (independentistas) que reivindicaram esse ataque, a FLEC/Posição Militar mantém a sua reivindicação e acusam as autoridades de terem levado a cabo represálias contra a população da aldeia de Wenca nos arredores do local onde se teria dado o ataque.  Um porta voz da FLEC/Posição Militar, Rodrigues Mingas, disse que o governando angolano, Bento Bembe é incumbido a “repetir desmentidos”.Clique aqui para ouvir o as declarações porta voz da FLEC/Posição, Rodrigues Mingas. Não obstante, Bento Bembe reconhece medo da população em Cabinda. A controvérsia sobre este ataque em Cabinda não esconde contudo uma realidade. Um descontentamento que existe no território. 

O secretário de estado para os direitos humanos de Angola, Bento Bembe, esteve na semana passada no território e disse á Voz da America que no seu entender o principal descontentamento em Cabinda se deve a motivos económicos. Bento Bembe disse ainda á voz da América que o governo angolano está empenhado em lançar o desenvolvimento do enclave, mas acrescentou que algumas obras importantes tiveram que ser suspensas devido á crise económica e financeira mundial. Ter-se-iam também registado situações em que empreiteiros não teriam cumprido as suas obrigações. Mas o secretário de estado angolano para os direitos humanos reconheceu também outros problemas, nomeadamente o medo que existe entre as populações de exprimirem a sua opinião. O secretário de estado angolano disse que isso é um reflexo dos muitos anos de guerra que o país atravessou e reconheceu que terá que haver “reformas” nas forças de segurança para garantir que estas respeitam os direitos dos cidadãos. Clique aqui para ouvir as declarações de Bento Bembe. Fonte: Rádio Voz da América / Jornal do Cidadão 

Laisser un commentaire

Construire avec vous le du ... |
Bien Vivre ensemble l'aveni... |
COMMUNAL HAOUR FEYZIN 2008 |
Unblog.fr | Créer un blog | Annuaire | Signaler un abus | Energie Nouvelle pour Heill...
| Michel TAMAYA 2008 Le BLOG
| servir connaux