• Accueil
  • > Archives pour novembre 2010

22 novembre, 2010

A caça às bruxas, a campanha de intimidação e repressão continuam em Cabinda: Detenção do Padre Jorge Congo em Cabinda.

Classé dans : Non classé — cabinda @ 8:21

padrejorgecongo.bmpO Padre Jorge Casimiro Congo (na foto) foi, detido Sábado ùltimo (20 de Novembro) por pouco mais de duas horas pela policia nacional sem a princípio fundamento. A sua grande culpa é,  na compreensão dos  populares, por ter ajudado alguns jovens Católicos que viajavam  ao Cabassango para festejarem o Cristo-Rei, considerado o dia da juventude Católica.

Policia diz que ele se fazia transportar numa viatura de mercadoria

O sacerdote conta do sucedido numa parecer que o Club-k.net teve acesso e que passa na integra.

 “A juventude de Lubundunu tinha decidido, há muito, celebrar a festa de Cristo Rei em Lândana. Hoje, dia 20,  de manhã, fui até à cidade de Cabinda. Em Cabassango, às portas da cidade,  deparei-me com um espavento policial, cuja acção era direccionada para todos  os veículos que traziam membros da comunidade Lubúndunu. Uns foram obrigados a retroceder e outros obrigados a mudar de itinerário. Ao regressar a Lândana, encontrei-me com alguns membros vítimas desta repressão policial.

Disseram-me que foram acusados de serem membros da Mpalabanda e da FLec, por isso, interditos de se  movimentarem. Cheguei em Lândana deparei-me com um estupor aparato policial e de anti-motins i. Vieram, depois, os jovens de Lândana e narraram-me terem sido impedidos  de realizar o encontro de oração, porque, amanhã, o bispo virá a Lândana e porque estavam a organizar uma manifestação da Mpalabanda.  Se quisessem que fossem a Cabassango. Pediram-me que os ajudasse com a minha carrinha. Lá os levei.

Ao regressar, sem ninguém na viatura, a polícia, postada em tudo que era canto, fizeram-me parar e pediram-me a carta de condução e os documentos da viatura.  Dei-os. Eram 18.30. Fiquei ai em condição de detenção até  20.45. Depois veio um polícia de trânsito que me disse que retinham o carro, ordens de um comandante, sempre na penumbra, porque era uma viatura de mercadoria e não de passageiros. Isto passado longo tempo.

Fiquei ainda retido no Malembo, porque não tinha como chegar a Lândana, que dista 18 kilómetros. Confrontados com a minha reacção lá forçaram uma viatura a vir deixar-me em Lândana. Quando pediam que o dono da viatura  me viesse deixar, diante do espanto deste, que não compreendia por que  Padre Congo já não tinha carro, o polícia, na sua ingenuidade, disse-lhe que eram problemas políticos. Esta atitude humilhante e musculada contra mim e todos os inimigos de estimação do governo angolano tem sido permanente nestes últimos dias, porque no dia 11 deste mês também fomos postos em situação de detenção durante largas horas, eu e o Dr. Nombo,  na fronteira de Massabi e só, depois,  quando bem quiseram,  nos deixaram seguir viagem à Ponta-Negra, República do Congo Brazzaville.

A nossa vida  é uma permanente  humiliação e só Deus sabe quando vai acabar. Não sei quem fica mal na fotografia: esta Igreja católica que tem sempre o apoio da mão do poder (tudo que é polícia e militar,  em todos os seus programas ou o próprio poder, que se diz laico, que se tornou o protector de uma Igreja ! Só o futuro nos dirá. Até lá, continuaremos com a vida sempre por um fio (Padre Congo).”

Fonte da informação : Klub-k-net

17 novembre, 2010

Cabinda: embuscade contre un convoi de techniciens chinois employés par la Sonangol

Classé dans : Politique — cabinda @ 14:42

Selon les dépêches de plusieurs Agences de presse écrites datant du 12 novembre dernier, deux soldats gouvernementaux angolais auraient été tués lundi dans l’enclave pétrolière du Cabinda lors d’une embuscade contre un convoi de techniciens chinois. Le ministre des Droits de l’homme, Bento Bembe, principal promoteur et signataire du mémorandum d’entente pour la paix et la réconciliation au Cabinda conclu avec le gouvernement de Luanda afin d’échapper à la justice américaine, celle-ci a été revendiquée par une faction du Front de libération de l’enclave du Cabinda (Flec) opérant dans la région. Les deux militaires tués escortaient les techniciens employés de la compagnie pétrolière angolaise Sonangol. La contestation contre la présence angolaise au Cabinda a éclaté il y a un peu plus de 35 ans, consécutivement à la fin de la domination coloniale portugaise et à la cession illégale de ce territoire à l’Angola sans que la population dudit territoire ne fut consultée à cet effet ainsi que l’exige les usages en matière d’autodétermination des peuples. 

Construire avec vous le du ... |
Bien Vivre ensemble l'aveni... |
COMMUNAL HAOUR FEYZIN 2008 |
Unblog.fr | Créer un blog | Annuaire | Signaler un abus | Energie Nouvelle pour Heill...
| Michel TAMAYA 2008 Le BLOG
| servir connaux